quarta-feira, 19 de março de 2014

O amor..


Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.
E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

1 Coríntios 13:1-7

O versículo anteriormente citado é extremamente conhecido. Porém o que tem de conhecido tem de não ser posto em pratica. Observe cada item ali citado. Este é o verdadeiro amor. Sofredor, benigno, não é invejoso, não trata com leviandade, não ensoberbece, não se porta com indecência, não tem prazer nos seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal, não folga com a justiça, mais folga com a verdade. E por fim. Tudo sofre. Tudo crê. Tudo espera. E tudo suporta.

Gostaria de falar mais sobre este tema. Já que é o dom número 1. E o mais importante de todos. Além de ser a base de todo e qualquer mandamento e lei. Outro dia trato mais dele. Por hoje é isto. Medite nele. Pense: Com o que amo, tudo sofro, tudo creio, tudo espero e tudo suporto?
Até amanhã.