quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Até quando, ó Senhor?



Quão duras são as palavras dos ímpios contra Ti, Ó Altíssimo. Quanta tolice e falta de entendimento há em tais palavras. Falam verdadeiramente coisas vãs. Falam daquilo que não compreendem!
Até quando os ímpios, Senhor, até quando os ímpios saltarão de prazer?
Matam a viúva e o estrangeiro, e ao órfão tiram a vida. Dizem à Deus: "Retira-te de nós! Não temos desejo em conhecer os teus caminhos! Porque serviríamos à Deus? Quem é o Todo-Poderoso para que o sirvamos? E para que servirá que eu o faça orações?
Após cometer tantas iniquidades, diz ainda: "O Senhor não verá, nem para isso atentará o Deus de Jacó."

Estúpidos! Por acaso não ouve quem o ouvido criou?
Estúpidos! O que formou o olho não vê?
Estúpidos! O que criou o conhecimento e o dá aos homens não sabe?
De certo ouve, vê e sabe! E tão certo como ele vive, ele se vingará!

Quanto à Ti, ó ímpio, une-te à Deus! Procure à Deus de todo o teu entendimento, corpo e alma. Se achegue à Ele e terás paz, e, assim, te sobrevirá o bem. Aceita, peço-te, aceite ao Filho de Deus e ponha as tuas Palavras em teu coração.
Bom, verdadeiramente, é o Senhor para os que esperam por Ele. Para a alma que o busca em verdade.
Esquadrinhemos os nossos caminhos, provemo-los e voltemos para o Senhor!